Última Publicação

Caros visitantes do meu blog,

Esta vai ser a minha última publicação, pois acabei o 9ºano (como sabem este blog era um trabalho para a avaliação) e no secundário não terei mais esta disciplina. 

No início, este blog era apenas um elemento da minha avaliação mas com o passar do tempo as visualizações foram crescendo e percebi que este blog também se tornou um site para pesquisa sobre físico-química, portanto espero que continue a sê-lo mesmo não tendo publicações novas.

Gostei muito de fazer este blog e devido ao que eu disse acima ainda me dava mais vontade de fazê-lo, pois estava a ajudar outras pessoas ;)

Continuem a comentar com sugestões ou outras coisas que queiram!

                                                         Beijinhos e abraços,
                                                                     André Godinho :)

Elemento Químico de Maio: Háfnio

O háfnio é um elemento químico com número atómico 72, representa-se com o símbolo "Hf", tem uma massa atómica de 178,5 u e na Tabela Periódica pertence ao grupo dos metais de transição. É um elemento químico sólidometálico e resistente à corrosão.


O háfnio tem 10 isótopos (os seus números de massa variam entre 172 e 182) mas apenas seis deles são estáveis.

A sua cor é cinza-prateado e tem brilho. Quimicamente é muito parecido com o elemento químico zircónio.


O seu manuseamento tem que ser feito com muito cuidado pois apesar de não ser tóxico, quando é dividido em partículas pode arder de repente em contacto com o ar.

As suas principais aplicações são:
- em lâmpadas de gás incandescente;
- em processadores Intel com tecnologia 45 nm;
- na eliminação de oxigénio e nitrogénio em tubos de vácuo;
- em ligas de ferro, titânio, nióbio, tântalo e outra ligas metálicas.


O háfnio é sempre encontrado junto ao zircónio, ou seja, não é encontrado como elemento livre na natureza

HISTÓRIA


Em 1923, os cientistas Dirk Coster e Georg von Hevesy estavam na Dinamarca quando descobriram o háfnio.


Mais tarde, utilizando a Teoria de Bohr, descobriram que este elemento químico estava associado ao zircónio.

O nome "Háfnio" foi dado em homenagem à cidade de Hafnia (Copenhaga em latim) onde este foi descoberto.

Potência Elétrica ( P )

potência elétrica (P) é uma grandeza física associada à corrente elétrica, que mede a energia elétrica consumida pelo recetor e transformada noutra ou noutras energias, por unidade de tempo.

Símbolo da grandeza: P

Unidade no Sistema Internacional: watt (W)





Mede-se com um wattímetro.






A potência elétrica pode calcular-se de duas maneiras:













Energia Elétrica ( E )

energia elétrica (E)  é uma grandeza física associada à corrente elétrica, que fornece a energia aos recetores elétricos para estes funcionarem.


Símbolo da grandeza: E

Unidade no Sistema Internacional: joule (J)




Mede-se com os contadores de eletricidade e a unidade de medida é o kWh (quilowatt hora).








A energia elétrica relaciona-se com a intensidade da corrente, a diferença de potencial e o tempo de funcionamento, ou seja, é com estes dados que se calcula-a.


Lei de Ohm

A Lei de Ohm enuncia que a diferença de potencial nos terminais de qualquer condutor metálico filiforme e homogéneo (a temperatura constante) é diretamente proporcional à intensidade da corrente que o percorre.

   U   = constante
   I   

Existem dois tipos de condutores:

- Condutores Óhmicos -> estes condutores têm sempre a mesma resistência elétrica, obedecem à Lei de Ohm e quando se representa graficamente U em função de I forma uma linha reta que passa pela origem dos eixos coordenados.

- Condutores Não Óhmicos -> nestes condutores a resistência varia de circuito elétrico para circuito elétrico, ou seja, não obedecem à Lei de Ohm e quando são representados graficamente formam uma linha curva.


Resistência Elétrica (R)

resistência elétrica ( R ) é uma grandeza física associada à corrente elétrica, que é a oposição que os materiais oferecem à passagem da corrente elétrica.

Símbolo da grandeza: R

Unidade no Sistema Internacional: ohm (Ω)

1 Ω (ohm) = 1 000 mΩ (miliohm)

Se um material oferecer grande resistência à corrente elétrcia é um mau condutor, ou seja, se oferecer pouca resistência à corrente elétrica é um bom condutor.


Há duas maneiras de medir a resistência elétrica:

- Método Direto -> mede-se a resistência do componente fora do circuito ligando-o a um ohmímetro ou a um multímetro na posição de ohmímetro);

- Método Indireto -> mede-se a intensidade da corrente do circuito com um amperímetro e a diferença de potencial com um voltímetro e calcula-se utilizando a seguinte fórmula: 



A resistência elétrica também depende...

... do comprimento do condutor (quanto mais comprido for o condutor, maior é a resistência, ou seja, quanto mais curto for o condutor, menor é a resistência);

... da espessura do condutor (quanto mais espessura tiver o condutor, menor é a resistência, ou seja, quando menos espessura tiver o condutor, maior é a resistência);

... do material de que é feito o condutor (a prata oferece pouca resistência mas o carbono já oferece grande resistência, ou seja, varia de material para material).

Intensidade da Corrente ( I )

intensidade da corrente ( I ) é uma grandeza física associada à corrente elétrica, que é a quantidade de carga elétrica que passa numa secção de um circuito, por unidade de tempo.

Símbolo da grandeza: I

Unidade no Sistema Internacional: ampere (A)

1 A (ampere) = 1 000 mV (miliampere)



Para se medir a intensidade da corrente de um circuito utiliza-se um amperímetro, que é instalado em série em relação ao circuito.




Intensidade da Corrente nos circuitos em série:



A intensidade da corrente nos circuitos em série tem o mesmo valor em todo o circuito.

IT = I1 = I2 = ...



Intensidade da Corrente nos circuitos em paralelo:



A intensidade da corrente nos circuitos em paralelo é igual à soma dos valores registado nas várias ramificações.

IT = I1 + I2 + ...

Diferença de Potencial (d.d.p.)

A diferença de potencial (d.d.p.) é uma grandeza física associada à corrente elétrica, que se relaciona com a energia que é transferida para o circuito elétrico.

Símbolo da grandeza: U

Unidade no Sistema Internacional: volt (V)

1 V (volt) = 1 000 mV (milivolt)




Para se medir a diferença de potencial de um circuito utiliza-se um voltímetro, que é instalado em paralelo em relação ao circuito.





Diferença de Potencial nos circuitos em série:


A diferença de potencial nos circuitos em série, medida na fonte de energia, é igual à soma da d.d.p. dos recetores do circuito.

UT = U1 + U2 + ...



Diferença de Potencial nos circuitos em paralelo:



A diferença de potencial nos circuitos em paralelo, medida na fonte de energia, é igual à d.d.p. dos recetores do circuito.

UT = U1 = U2 = ...

Circuitos Elétricos

Um circuito elétrico é um caminho para a corrente elétrica. Para isto ocorrer tem de ter uma fonte de energia (fornece a energia elétrica), um ou mais recetores (recebem a energia elétrica, transformando-a) e fios de ligação (para ligar a fonte de energia aos recetores). Também existem diferentes aparelhos de medida.


Quando se liga convenientemente um recetor e uma fonte de energia, estabelece-se um circuito elétrico fechado. Caso não haja esta ligação é um circuito elétrico aberto

Alguns dispositivos elétricos e seus símbolos:














TIPOS DE INSTALAÇÃO DE CIRCUITOS

- em série:

Nestes circuitos existe apenas um caminho para a corrente elétrica.
ex: sistemas de iluminação das árvores de natal


Características:
- qualquer que seja a localização do interruptor, comanda todas as lâmpadas;
- se se retirar ou se se fundir uma lâmpada, todas se apagam;
- quantas mais lâmpadas tiver o circuito, menos luminosidade terão.

- em paralelo:

Nestes circuitos existe mais do que um caminho para a corrente elétrcia, ou seja, há o ramo principal que se divide em ramificações e depois essas ramificações voltam a juntar-se ao circuito principal.
ex: a instalação dos aparelhos elétricos em casa


Características:
- quando o interruptor está instalado no circuito principal comanda todas as lâmpadas, mas quando se encontra numa ramificação, apaga essa zona apenas;
- quando se retira ou se funde uma lâmpada, as outras permanecem acesas;
- mesmo que o número de lâmpadas seja elevado, têm todas forte luminosidade.

Corrente Elétrica

A corrente elétrica é um movimento orientado de partículas com carga elétrica.

Nos metais, é um movimento orientado de eletrões livres.










Nas soluções iónicas é um movimento orientado de iões positivos num sentido, e no outro, de iões negativos.











Existem dois tipos de materiais:
- Bons Condutores Elétricos (através dos quais a corrente elétrica passa);
- Maus Condutores Elétrcios (através dos quais a corrente elétrica não passa).

TIPOS DE CORRENTE ELÉTRICA

- Corrente Contínua (DC ou = ):

É a corrente elétrica que não muda de sentido. Por exemplo, nas pilhas.


- Corrente Alternada (AC ou ~ ):

É a corrente elétrica que muda de sentido. Por exemplo, nas tomadas elétricas das nossas casa. Em Portugal muda 50 vezes de sentido por minuto, ou seja, tem 50 Hz (hertz) de frequência.


SENTIDOS DA CORRENTE ELÉTRICA

- Sentido Convencional:

Neste sentido foi convencionado que o sentido da corrente elétrica nos circuitos é do pólo positivo da fonte de energia para o pólo negativo.

- Sentido Real:

Este sentido é o do movimento real dos eletrões, que circula na direção oposta, ou seja, do pólo negativo para o pólo positivo.


Elemento Químico de Abril: Escândio

O escândio é um elemento químico com número atómico 21, representa-se com o símbolo "Sc", tem uma massa atómica de 160,6 u e na Tabela Periódica pertence ao grupo 3 e é um metal de transição. É um elemento químico sólidometálicomole e muito leve.



O escândio tem 13 isótopos  mas apenas três deles são estáveis.

A sua cor é branco prateado e tem brilho, mas exposto ao ar fica com uma cor rosada. Apenas não reage ao ácido nítrico e ao ácido fluorídrico.




As suas principais aplicações são:
- na produção de lâmpadas de vapor de mercúrio;
- craqueamento do petróleo;
- nas indústrias aeroespacial e aeronáutica.


O escândio não tem quase nenhuma fonte de onde se possa extrair: apenas existe na Escandinávia e em Madagáscar, mas não é encontrado no seu estado nativo. É mais abundante no sol e em estrelas semelhantes.

HISTÓRIA


Em 1879, o professor Lars Fredrick Nilson estava a trabalhar com a sua equipa à procura de metais terras raras e enquanto estava a analisar dois minerais, isolou o óxido de escândio, descobrindo-o.

Em 1937, foi isolado pela primeira vez por eletrólise.

Este elemento químico teve o nome "Escândio" porque foi descoberto na Escandinávia.


Regras de Segurança na Uitilização da Eletricidade


NÃO...
...ligar muitos aparelhos elétricos à mesma tomada;
...desligar as fichas das tomadas puxando pelos fios;
...utilizar um aparelho elétrico com fio de ligação em mau estado;
...tocar com os dedos ou objetos metálicos nas tomadas elétricas;
...substituir uma lâmpada fundida ou reparar um aparelho elétrico enquanto está ligado à corrente;
...mexer nem ligar aparelhos elétricos com as mãos molhadas;
...usar um aparelho elétrico sem antes ler cuidadosamente as instruções;
...deitar água em ferros de engomar, chaleiras ou cafeteiras elétricas quando estão ligados à corrente.

Elemento Químico de Março: Túlio

O túlio é um elemento químico com número atómico 69, representa-se com o símbolo "Tm", tem uma massa atómica de 168,9 u e na Tabela Periódica pertence ao grupo dos lantanídeos. É um elemento químico sólidometálico e é mole e maleável (pode ser cortado com uma faca).



O túlio tem 32 isótopos (os seus números de massa variam entre 146 e 177) mas apenas um deles é estável.

A sua cor é cinza-prateado e tem brilho. Apenas apresenta resistência à corrosão se o ar não tiver uma grande quantidade de humidade.


Ficheiro:Thulium sublimed dendritic and 1cm3 cube.jpg

O seu manuseamento tem que ser feito com muito cuidado pois além de ser tóxico, o seu pó metálico pode entrar em combustão e tornar-se explosivo.


As suas principais aplicações são:
- produção de lasers;
- fonte de radiação em dispositivos portáteis de raios-x;
- materiais magnéticos em microondas.

Devido ao seu elevado custo, o seu uso comercial é baixo.


O túlio é um metal muito raro e pode ser encontrado em areias de rios ou extraído em pequenas quantidades de outros metais semelhantes.

HISTÓRIA


Em 1879, o químico sueco Per Teodore Cleve estava a procurar impurezas em diferentes elementos metálicos, e ao tirar todos os contaminadores, descobriu duas novas substâncias: uma era o óxido de hólmio e a outra era o óxido de túlio.

O nome "Túlio" teve origem na palavra "Thule" que foi um nome romano antigo de um país situado na Escandinávia.


Leis de Newton

1ª LEI DE NEWTON -> LEI DA INÉRCIA

Um corpo em repouso tende a ficar em repouso, ou seja, a menos que seja exercida uma força que o faça sair do estado de repouso ou de movimento retilíneo uniforme.

Fr = 0 -> corpo em repouso       M.R.U. (v = constante -> a = 0 m/s2)

EXEMPLO:
O autocarro está parado, há passageiros em repouso e em pé. De repente este arranca. Segundo esta lei, os corpos tendem a manter a posição em que estavam, ou seja, são projetado para trás.



2ª LEI DE NEWTON -> LEI FUNDAMENTAL DA DINÂMICA

A força resultante do conjunto das forças que atuam num corpo produz nele uma aceleração com a mesma direção e o mesmo sentido da força resultante, que é tanto maior quanto maior for a intensidade da força resultante.

                                           Caso particular: P = m x g  
P -> peso (N)
m -> massa (kg)
g -> acelereção gravítica (9,8 m/s2)

3ª LEI DE NEWTON -> LEI DA AÇÃO-REAÇÃO

Quando dois corpos estão em interação, à ação de um corpo sobre outro corresponde sempre uma reação igual e oposta que o segundo corpo exerce sobre o primeiro.



EXEMPLO:
O rapaz deu um pontapé na pedra (FAB), ou seja, recebeu de volta a força que exerceu na pedra (FBA).

Forças de Atrito

As forças de atrito são forças de contacto que se opõem sempre ao movimento de um corpo. Dependem das superfícies de contacto (se a superfície for mais rugosa o corpo desliza menos facilmente) e da massa do corpo (se o corpo for muito pesado é mais difícil deslocá-lo).

N --> força de reação normal (força perpendicular à superfície)

P --> peso (força exercida pelo peso da caixa)

F --> força que está a ser exercida por quem empurra a caixa

Fa --> força de atrito

Alguns exemplos:

A força resultante é nula...

...se a força de reação normal for igual ao peso.

...se a força de atrito for igual à força feita por nós.

A força resultante é positiva...

...se a força de reação normal for maior que o peso.

...se a força de atrito for inferior à força feita por nós.

Forças

FORÇAS


As forças traduzem interações entre os corpos, ou seja, pode deformá-lo ou variar o seu estado de movimento ou de repouso. São grandezas vetoriais, por isso representam-se por vetores e a sua unidade é o Newton (N)

Os elementos que caracterizam as forças são:
- direção (horizontal ou vertical);
- sentido (da direita para a esquerda, etc);
- intensidade (newton);
- ponto de aplicação.

FORÇA RESULTANTE

A força resultante é o resultado da ação de várias forças num certo corpo, ou seja, quando um conjunto de forças actuam num corpo o resultado é apenas uma força: a força resultante.

Resultante de duas forças com a mesma direção e o mesmo sentido:

Quando duas forças com a mesma direção e sentido atuam num corpo, a força resultante tem direção e sentido iguais ao das duas forças e a intensidade igual à soma das suas intensidades.






Resultante de duas forças com a mesma direção mas sentidos opostos:

Quando duas forças com a mesma direção mas sentidos opostos atuam num corpo, a força resultante tem direção igual à das duas forças, sentido igual ao da força com maior intensidade e a intensidade igual à diferença das suas intensidades.





Resultante de duas forças com direções diferentes:



Quando duas forças com direções diferentes atuam num corpo, a força resultante tem direção e sentido diferentes dos das duas forças (ambos são determinados geometricamente) e a intensidade pode ser descoberta de duas maneiras:

- através do Teorema de Pitágoras (se o ângulo formado tiver 90º);












- através da Regra do Paralelogramo (se o ângulo formado não dor de 90º).








Elemento Químico de Fevereiro: Crómio

O crómio é um elemento químico com número atómico 24, representa-se com o símbolo "Cr", tem uma massa atómica de 52,00 una Tabela Periódica pertence ao grupo 6 e é um metal de transição. É um elemento químico sólidometálico e é duro e frágil.



O crómio tem 22 isótopos (os seus números de massa variam entre 43 e 67) mas apenas três deles são estáveis.

A sua cor é o cinza (muito parecido ao aço). É muito resistente à corrosão.

Ficheiro:Chromium crystals and 1cm3 cube.jpg

Quando se encontra em grandes quantidades é muito tóxico. Pode provocar irritação nos olhos e na pele e  mucosas.


As suas principais aplicações são:
na metalurgia para aumentar a resistência à corrosão dos metais;
- em corantes e pinturas;
- limpeza de materiais de vidro de laboratório;
- na proteção da madeira.



O crómio é não é um metal raro. Os seus depósitos estão concentrados mais principalmente na África do Sul e no Cazaquistão.

HISTÓRIA

Ficheiro:Johann Gottlob Lehmann (02).JPGO crómio foi descoberto por Johann Gottlob Lehmann em 1761, quando este estava a fazer escavações nos Urais.

Em 1770, Peter Simons Pallas encontrou o mineral no mesmo local e começou a usá-lo em pinturas como pigmento.

Em 1798, Louis Nicolas Vauquelin, descobriu que aquecendo-o num forno de carvão podia-se isolá-lo.


Bibliografia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cr%C3%B4mio e http://www.infoescola.com/elementos-quimicos/cromo/